[Filme & C-Drama] LOVE O2O

by - 16:26:00

FILME/C-DRAMA Assista o drama: DramaFever 


Xiao Nai (Yang Yang) é um especialista em jogos que, pela habilidade no basquete, excelência acadêmica, talento na natação e por ser dono de uma empresa de jogos, é o aluno mais popular da Universidade de Qing. Quando ele cruza pela primeira vez com a beldade do departamento de Ciência da Computação, Bei Weiwei (Zheng Shuang), o jovem prodígio imediatamente se apaixona. O que mais chama a atenção dele é a destreza com a qual ela comanda a guilda dela num jogo online, o que a torna inesquecível para ele. 

Agora, Xiao Nai deve usar as suas habilidades offline e online para capturar o coração de Weiwei, que não é só bela, mas nerd também. Será que o amor deles tem XP suficiente para dar certo ou esse relacionamento nunca evoluirá?

A história de LOVE 020 fez tanto sucesso nos cinemas, mas tanto sucesso, que no mesmo ano (2016) lançaram um drama baseado no filme onde superou todas as expectativas e empurrou barreiras, conquistando mais telespectadores pelo do mundo inteiro. 

Meu primeiro contato com o romance entre os personagens Xiao Nai e Bei Wei Wei foi por meio do drama, e na época minhas amigas estavam todas alvoroçadas pela história, pela magia, e principalmente pelo charme do jovem ator Yang Yang. Naquela época eu ainda fugia dos dramas chineses por causa da forma irritante e cheias de frescuras infantis das protagonistas.  

Então comecei o drama com um pé bem atrás. Porém, foi uma agradável surpresa descobrir que Bei Wei Wei não era nada boba, frescurenta e repleta de crises histéricas. Ela é uma jovem universitária muito inteligente, sempre com uma boa resposta pronta quando algum idiota a provocava e que não deixa ninguém a subjugar ou tirar proveito de sua bondade. Ela foi uma das personagem mais humanas com que já me deparei em meu curto histórico de dramas chineses vistos. E o melhor de tudo é que mesmo sendo muito bonita - a ponto de ser nomeada como a Deusa do Curso de Ciências da Computação - a habilidade dela com os computadores é o que chama a atenção do nosso mocinho. Claro que ser bonita ajuda, mas Xiao Nai encontra uma parceira a sua altura quando o assunto é entrar no mundo dos games de computador e é exatamente isso que o faz se apaixonar por ela à primeira vista. 

Ótimo. Ponto para o drama. Finalmente um romance onde a beleza de porcelanato da mulher não é o foco, mas sim as suas qualidades e suas reais competências.

 

Outro ponto positivo é que Bei Wei Wei conseguia colocar todo mundo em seu devido lugar. 

Algumas meninas - claro, porque todo drama precisa ter sua cota de bitch girls possuídas pela inveja de Satanás - sempre estavam tentando dar uma rasteira nela, mas Bei Wei Wei mantinha-se firme e forte em seus próprios pés, e era ela quem puxava o tapete e fazia as demais baterem a cara no chão. E essa atitude fez com que algumas pessoas a considerassem perigosa ou arrogante, o que para mim era pura besteira, já que a melhor vingança sobre a concorrência é fazê-los apreciar o seu sucesso e fazê-los se sentirem pequenos e miseráveis. 

  

E tudo isso é apenas o aperitivo da história, porque o prato principal é quando nossa protagonista inicia um relacionamento com o rapaz mais cobiçado de toda Universidade. E aí está o verdadeiro motivo que fez minhas amigas surtarem loucamente. 

Yang Yang era, até então, um ator totalmente desconhecido por mim (e pela maioria dos dorameiros com quem conversei), mas sua atuação como Xiao Nai é tão encantadora, hipnotizante e repleta de sensualidade que me fez desejar viajar para a China e mostrar para a atriz principal como se beija de verdade, porque as cenas românticas, mesmo tendo um clima ótimo, pareciam um tanto quanto forçadas pela atuação da protagonista. Enquanto Yang Yang estava totalmente focado e entregue em seu personagem irreverentemente apaixonado, eu conseguia sentir uma resistência da parte dela.

E isso era tão frustrante. Obviamente não estou pedindo por uma interpretação digna de ser vista no RedTube, mas algo onde me fizesse sentir que a atriz estava 100% mergulhada em seu trabalho. E isso não aconteceu. Infelizmente. 

Mas nada que um close certo no olhar marcante de Yang Yang não resolvesse, porque Deus sabe quantas vezes eu tive que parar a tela para apreciar mais longamente todo o charme natural desse ator. 

 

E antes que alguém venham me dizer que a atriz agiu como 99% das outras atrizes asiáticas em cenas românticas, já digo que Angela Baby quando interpretou Bei Wei Wei no filme pareceu um ser humano pra mim, não um tronco de árvore.

Mas vamos voltar ao que interessa nessa resenha.

A história é toda focada no desenvolvimento de um jogo de computador, então há diversas cenas divertidíssimas que se passam nesse mundo fantasioso, e ressalvo que foram os meus momentos favoritos. Tudo bem que os efeitos especiais made in China não são nada dignos de made in Hollywood, mas dá pro gasto e tornou a dinâmica do drama muito mais viciante. 

 

Para mim o romance tinha duas faces: a que se desenvolvia no mundo real, e a que acontecia no universo fictício, porém, as duas caminhavam juntas por um mesmo caminho que era o companheirismo e cuidado que o casal protagonista tinha um com o outro e toda a dedicação que se entregavam para que a relação desse certo. Foi muito bonito ver o quanto eles se respeitavam e trabalhavam juntos para construir um amor duradouro.


E em trinta episódios, o roteirista conseguiu manter a qualidade da história sem transformá-la em algo maçante. Ele focou nos detalhes que realmente importavam, e não ficou enchendo linguiça com histórias paralelas desinteressantes. Todas as vertentes estavam muito bem ligadas, os personagens estavam conectados, e o final foi apenas a cereja do bolo para um momento digno que me deixou bastante satisfeita.

Como vi o drama primeiro, ao assistir o filme, acabei sentindo falta de um desenvolvimento mais cuidadoso dos personagens principais, mas faz sentindo já que uma hora e meia não pode ser comparada a meses de filmagens para um drama extenso que tem maior liberdade para trabalhar nos detalhes.


Gostaria de dar uma atenção especial a maneira como a amizade dos meninos tanto na drama quanto no filme tem um foco muito importante para todo o enredo. Mesmo a relação amorosa entre Xiao Nai e Bei Wei Wei sendo o ingrediente especial, a camaradagem desses meninos e a sua fervorosa luta para lançarem um novo jogo de computador é o cenário principal da trama. Tudo se desenvolve a partir de um escritório repleto de nerds, jogadores apaixonados e a inegável ambição pelo sucesso.

As duas adaptações teriam sido um completo fiasco se não fosse por esses meninos e seus momentos ora hilários, ora dramáticos, ora sempre oferecendo o apoio que precisam para não deixarem ninguém desaminar ou desistir de seus sonhos. Eles estão juntos, trilhando seu caminho para algo grandioso, e nenhum companheiro será deixado para traz. 

É o tipo de amizade que todo mundo quer ter na vida.

Já a entrosação de Bei Wei Wei e suas amigas é totalmente esquecível. Lamentavelmente, elas formam o típico grupo de mocinhas onde suas próprias histórias são bastante frustrantes. Principalmente Zhao Er Xi que mereceria o prêmio de personagem que levou minha irritação ao extremo - e admito que tenho um problema com a atriz também -.    

Mas pedir que todas as personagens femininas sejam power girl como sua protagonista, seria pedir demais. Porque ainda estamos nos referindo a um drama asiático. 


Agora vocês me perguntam: Lena, qual assisto primeiro? 

Bem, qualquer um. Se você não se incomoda com spoilers, comece pelo filme, mas se quiser fazer uma sessão maratona com muita pipoca e refrigerante, se joga no drama. Independentemente qual seja a sua escolha, acomode-se e aproveite, porque Bei Wei Wei e Xiao Nai foram criados para fazer o nosso coração disparar. E ambos os atores farão você precisar da ajuda de aparelhos respiratórios, o que torna tudo ainda melhor. 

You May Also Like

0 comentários